quinta-feira, 15 de outubro de 2015

O que der na telha - Com DeCastro #09


“O futuro é um nada.” Na boca de Rosa, essa sentença soou muito mais forte e impactante do que a de morte que recebera de seus algozes.
Perante praça pública, a ré foi julgada e condenada. De joelhos, embaixo do sol escaldante, ela ergue a cabeça e vê o sol a pino, no cume de seu brilho. Ouve atrás de si os passos firmes e compassados da morte. Seu rosto soa. Em sua tez, o fulgor de sua luta, de sua causa. Os passos se comprimem, diminuem o espaço entre a vida e a morte, entre o último respirar e o movimento do dedo tocando o gatilho. Mascarado, com o capuz que lhe orna e esconde o rosto, estende a arma em direção a nuca da mulher condenada. Rosa sente a ponta fina e gélida da escopeta tocar-lhe. Seu coração continua sereno, diferente do de seu algoz. Sem rosto é o execrável que lhe condena.

Trêmulo, empunhado de sua arma, tem em sua mão o fim de uma vida. Não qualquer vida, mas a de uma mulher engajada: Rosa Flor. Este é o nome que aparece no começo da lista que se estende em linhas incontáveis, páginas após páginas. 

Rosa continua altaneira, sabe porque está sendo condenada e não teme o infortúnio que virá. Mais valerá uma morte no corpo do que n’alma. 

Suas mãos amarradas atrás das costas roçam nas cordas que as mantém unidas. É assim que pretende vencer o inimigo: de mãos dadas. Um troncho grita do meio da praça para que tenham misericórdia da pobre mulher. Em seguida, todos que presenciam tal atrocidade começam a vaiar, berrar, gritar palavras de ordem e justiça. Um princípio de mixórdia, quizumba, imbróglio se instaura no local. Indignadas com o evento que sabem serem capitular, as pessoas começam a ficar atônitas: sabem que isso se repetirá por vários episódios. Seus filhos, netos e irmãos talvez sejam os próximos a serem executados. Talvez, quem ali vê o trágico fim de Rosa Flor não assistirá a adjacente ocorrência do circo dos horrores, pois pode ser a próxima vítima desse massacre premeditado. Um começo de charivari se estabelece, mas logo é acalmado com um tiro para cima. Contra uma atitude déspota de coerção só há uma escolha certa: a morte para a vida.

O feminil grita horrorizado pelo trágico fim que há de se suceder ao disparo da arma em direção a mulher de joelhos. Os homens tentam uma escaramuça contra os guardas, mas logo são acuados pelos dez brutamontes agarrados em seus paus de expelir fogo.

Nada se pode fazer a não ser presenciar a vitória parcial do mal.

Rosa já sabia que sua morte não seria em vão, que valeria cada palavra sua pregada e propagada. Cada gota de sangue, que outrora corria em suas veias e que, em questão de segundos, haveria de encharcar o tablado e o responsável por tocar o gatilho, tinha um sentido. Tomada pelo espírito da revolução esbravejou: liberdade é a causa! União é o caminho! 

Em seguida, ouve-se um disparo e um projétil rompe com violência um crânio. Ensanguentado e se debatendo, o algoz cai no chão. Um levante é feito e homens se jogam com força e espírito na direção dos soldados que estavam fazendo a segurança do local. O acontecimento abrupto pegou todos os soldados desprevenidos e sem reação. Não aguentaram o mar de pessoas que os cobria. Socos, pontapés, chutes, puxões, golpes desferidos com o punho, pé, paus, foices, enxadas, com todos os objetos possíveis era o que se via. Então, alguém desata o nó dos braços de Rosa Flor e ela grita, com o punho levantado: “Resistência! A democracia se resfolega na luta armada”. E os ânimos reavivam.

DeCastro

57 comentários:

  1. Gente!
    Acho lindo que tem dom da escrita. E quem sabe passar pelas palavras algo de bom (ou até de ruim mesmo!).
    “Resistência! A democracia se resfolega na luta armada”. E os ânimos reavivam. Essa última frase ironicamente diz muito sobre o que passamos no atual governo

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Helana. Você conseguiu captar o espirito da coisa.Ser um leitor competente, nos dias atuais,é uma dádiva.
      Beijos.

      Excluir
  2. Que texto lindo! A intensidade das palavras narradas nos leva facilmente para o momento descrito. Em segundos me envolvi com a história de Rosa e sua causa. Parabéns pela maestria no uso das palavras. Tocante, envolvente e intenso.
    Bjim

    Tammy
    Livreando | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre que leio esse conto sinto o tempo carregado se fechando sobre mim. Vivo com Rosa Flor cada momento macabro e o derradeiro fim.Obrigado pelas palavras de incentivo.
      Beijo

      Excluir
  3. Cara você tem um dom. Não deixe de aprimorá-lo sempre. O conto ficou incrível, tocante, forte. Você tornou um ato violento memorável e um grito pela liberdade, tanto do corpo, quanto da alma, quanto nossa liberdade de expressão. Parabéns.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, mas preciso discordar um pouco- só um pouco uahsuash de você. Não acho que tenha o dom, acho que sou obstinado e dedicado a literatura e sim, sempre aprimoro meu trabalho. Lary, conseguiste pegar o momento da coisa e fico feliz por isso. Afinal, hoje em dia as pessoas confundem saber ler com decodificação de palavras.
      Beijos

      Excluir
  4. Muito legal o conto. Parabéns!
    Um ótimo texto para eu ler neste dia do professor.
    saber se expressar em palavras é uma dádiva.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado. Tens razão sobre o saber usar as palavras. Elas são sagradas!

      Excluir
  5. Olá, Filipe.
    Eu amei o seu texto. Você conseguiu me prender lá no primeiro parágrafo. São tão poucas palavras, mas me vi envolvida na história e lutando junto com Rosa por dias melhores. Parabéns.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sil.
      Que bom que gostou do conto e que consegui cativá-la do início ao fim.
      "Resistência! A democracia se resfolega na luta armada"

      Excluir
  6. Oie!
    Nossa, muito bom! Parabéns!
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, adorei a escrita, paranéns, venha escrevendo "o que der na telha" ;)
    http://grandemetamorphose.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigado pelas palavras de incentivo. Continue acompanhando o blog e, claro, a coluna.

      Excluir
  8. Olá, tudo bem?
    Amei sua escrita, você tem muito talento, até o modo como você descreve a morte é algo especial, parabéns
    http://leesoncre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, vou bem sim, Sthefanie e você?
      Que bom que gostou e talvez a morte seja sim, algo especial. Afinal, podemos entende-la como um ciclo ou passagem para algo.

      Excluir
  9. Olha confesso que sou uma negação para a escrita e por isso
    eu acho que você deveria usar esse DOM para escrever um livro, porque
    você leva jeito. Achei o seu texto bastante reflexivo e profundo. Acho que muitos leitores que ainda não conhecem seu modo de escrever iriam adorar. parabéns de verdade =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/10/dia-de-quote-11.html?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou grato por suas palavras de carinho e incentivo. Tenho dois livros de contos publicados, um terceiro saindo do prelo e estou finalizando uma novela literária que pretendo publicar ano que vem. Deveras, pretendo sempre trazer reflexões na obra e para meu prazer, os leitores desse blog tem tido competência na leitura.

      Excluir
  10. Nossa que lindo o texto, encontrei muita profundidade nas palavras. Confesso que queria ter um dom assim de escrever tão bem. Parabéns!!
    Bjs

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei bem se é dom ou empenho e obstinação. Tente escrever algumas linhas, talvez você se surpreenda consigo.
      Beijos.

      Excluir
  11. Gostei muito do conto. Sua escrita é fluída e permite imaginar a cena sem dificuldades. Gostei de ver que a Rosa, por fim, semeou e colheu a justiça. Acho que nada é mais legal do que ver o povo oprimido assumindo o controle de suas vidas.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso. São por comentários assim que confirmam meu trabalho. Acho que é por ai mesmo que a coisa acontece. Obrigado pelas palavras.
      Beijos.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  12. Tenho que admitir que você me conquistou no último parágrafo, gosto muito de histórias sobre guerras e revoluções, e seu texto mostrou isso de uma forma muito impressionante!
    Você tem mais textos no blog? Vou dar uma olhada, curti sua escrita!
    Sucesso e beijos!
    Juliane.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "“Resistência! A democracia se resfolega na luta armada”. E os ânimos reavivam." Eis aqui todo o cerne em potencia do conto e sim, tenho mais textos no blog. Confira e depois diga-me o que achou.
      Beijos, Juliane.

      Excluir
  13. Nossa, bem trágico hein! Mais bem intenso, parabéns.
    Você escreve muito bem, e o texto é bem interessante.
    Pretendo escrever um livro?

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Leticia. Sim, eu tenho 2 livros publicados, um terceiro saindo do prelo e estou finalizando uma novela literária para o ano que vem. Mas respondendo a você: pretendo continuar escrevendo.

      Excluir
  14. Parabéns Filipe! Linguagem bonita e palavras rebuscadas de grandes literatas emolduradas pela sensibilidade dos filósofos... Parabéns! Já te disse, né?? Vc tem minha admiração!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho apenas a agradecer você pela colaboração na minha formação e as sempre palavras de incentivo. Obrigado, Mestre.

      Excluir
  15. Oi,

    Nossa que texto intenso, né? Mas serio, adorei a escrita e os sentimentos que ela pode passar :D

    http://perdidoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, realmente há uma intensidade no conto e que bom que gostou do texto. Continue acompanhando o blog e, claro, minha coluna.

      Excluir
  16. Oi Fê! Parabéns pelo texto maravilhoso. A intensidade em sua escrita aparece do início ao fim e isso acaba prendendo o leitor o que é ótimo

    Beijos
    Amor Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Fernanda. Espero que continue acompanhando o blog e, evidentemente, a coluna "O quer na telha-com DeCastro"
      Beijos.

      Excluir
  17. Belas palavras e ótima escrita.
    É um conto bem profundo e bem a ver com nossa realidade, é impossível não se envolver com Rosa e seus dramas.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Déborah.
      Penso que o artista/escritor não tem nenhuma obrigação com movimentos e engajamentos, entretanto, quando se envolve, é fato, o efeito surtido é imenso. Que bom que gostou. Continue acompanhando as sagas não só de Rosa Flor, mas de tantos outros personagens que emergem por aqui.

      Excluir
  18. Olá!
    Parabéns pelo texto, você escreve muito bem! Já pensou em publicar? Vou enviar por um amigo que adora esse tipo de escrita *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Amanda.
      Obrigado pela felicitações e sim, tenho 2 livros publicados e um terceiro saindo do prelo, além de uma novela literária que sairá ano que vem.
      Mande sim, será um prazer poder trocar idéias.

      Excluir
  19. Parabéns pelo texto! De verdade! Escrever é um dom e pouco conseguem passar tanta emoção assim!
    Beijos, Tabatha
    http://aproveiteolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Obrigado Tabatha, Vejo na escrita todo o processo de construção social e de mim, então dou a devida atenção e esmero ao trabalho.
    Beijos, DeCastro

    ResponderExcluir
  21. Olá

    Você escreve muito bem.Parabéns porque seu trabalho é muito bom,adorei o texto.

    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Liv
      Que bom que gostou, espero que continue lendo meu trabalho e acompanhando o blog. Obrigado pelas felicitações.
      Beijos

      Excluir
  22. Estou encantada com sua escrita. Dramática, intensa e impactante, sério mesmo.
    Eu adorei, você realmente manda muito bem, se ainda não escreveu um livro, corra pois quero ler.
    Amei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre procuro recortar da realidade fragmentos que julgo serem importante e colar na folha para mostrar meu modo particular de ver. E isso faz do meu texto tudo o que você acabou de dizer sobre ele e sim, tenho dois livros publicados, além de uma terceira coletânea saindo da prensa logo, além de uma novela literária que está disponível ano que vem.
      Obrigado pelas palavras de carinho.

      Excluir
  23. Já na primeira frase me peguei 'viajando' com suas palavras e embarcando no mundo de Rosa.
    O futuro é um nada - e continuará sendo se virarmos as costas e não nos unirmos pelas causas que realmente importam.
    Parabéns pelo texto!!!!

    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  24. Muito bem, Lica. Você conseguiu alcançar o âmago do conto. Nós, artistas/escritores não temos nenhuma obrigação com o real, entretanto quando nos comprometemos com algo e usamos a escrita de forma adequada o resultado tido dai é surpreendente. Beijos, DeCastro.

    ResponderExcluir
  25. WOW!
    Ao passo que o texto da semana passada não me conquistou, esse me deixou boquiaberta. Parabéns DeCastro. Você soube falar de uma forma muito fluída sobre a Rosa e nos mostrou que ela foi capaz de plantar e colher a justiça que tanto queria.
    Estou muito feliz de ter tido a oportunidade de ler esse texto.
    Beijos
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rá, falei que nem sempre acertamos. Fico feliz em saber que esse texto cativou você. És sempre tão presente e atenta ao meu trabalho que senti falta do teu comentário essa semana. Obrigado pelas palavras.
      Beijos.

      Excluir
  26. Belo texto, muito bem escrito e profundo. É a primeira vez que leio algo seu e gostei bastante, vou aguardar outros textos
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  27. Obrigado, esse é o nono texto meu no blog.Todas quintas há novos textos. Continue acompanhando e comentando. Beijos

    ResponderExcluir
  28. Ola Felipe adorei o texto, muito bem escrito . E com desfecho impactante muito bom.
    Sucesso.
    abraços

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Joyce.
      Que bom que gostou e muito obrigado pelas palavras de carinho.

      Excluir
  29. Olá. Meus parabéns pelo texto. Escreve incrivelmente bem. Com alma e com uma dedicação muito destacável. Um texto atraente aos olhos, mas também, revoltante e inspirador. Mostra bastante, principalmente no final, a situação atual.
    Beijos e continue escrevendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Irisvanda.
      Realmente, acredito que nosso atual momento político traz a baila questões levantadas pelo conto e fico feliz em saber que as pessoas conseguem atingir, geralmente, o sentido contido no fundo do texto. Seguirei seus conselhos: continuarei escrevendo.
      Beijos

      Excluir
    2. Não me ative a detalhes e escrevi na conta da minha noiva, desculpe o equivoco.
      DeCastro.

      Excluir
  30. Olá.
    Tudo bom?
    Nossa seu texto foi ótimo, bem profundo, acho que não li nada parecido na blogosfera.
    Muito inspirador. Parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Olá, vou bem sim e você?
    Obrigado pelas palavras de carinho e sim, também acho que esse texto ocasiona reflexões que nos dias atuais, são importantes de se fazer.
    Sobre a blogosfera, não posso dizer nada, afinal apenas escrevo e não sou um frequentador de blog, mas se dizes, acredito.
    Espero que inspire-a.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com