terça-feira, 26 de julho de 2016

Resenha: Comer Animais - Jonathan Safran Foer


Sinopse: Em seu primeiro livro de não ficção, Comer animais, Jonathan Safran Foer, autor do premiado Tudo se ilumina, publicado pela Rocco, mergulha no mundo da chamada pecuária industrial nos Estados Unidos – a criação intensiva de aves, porcos e bois –, assim como na pesca em larga escala e suas implicações para o meio ambiente. Após três anos de pesquisas, o resultado é um panorama assustador.







Mais ou menos quando cheguei na metade de Comer Animais, pensei: “Como vou resenhar este livro?”. E essa questão, volta e meia, vinha em minha cabeça. Eu tinha a opção de não resenhá-lo, é claro, mas ele é importante ao extremo, eu preciso fazer isso. 

O prazer justifica os meios?

Comer Animais foi escrito por Jonathan Safran Foer depois da seguinte circunstância: em breve ele seria pai. E antes que alimentasse seu filho com algum animal, precisava saber de onde vem a carne que as pessoas consomem e como os fornecedores dessa carne, os animais, são tratados. Em outras palavras, eu diria que ele estava procurando pela verdade, antes de sujeitar seu filho, o seu bem mais precioso, a essa loucura que é a indústria da carne.

“Aquilo que esquecemos sobre os animais começamos a esquecer sobre nós mesmos.” 

Foer não é um ativista entrando em uma fazenda que cria animais para o consumo humano, ele não é um ativista quando se infiltra com um ativista de fato, em um matadouro de madrugada. Foer é, unicamente, uma pessoa querendo saber a verdade. E ele a descobre. E ela não é uma surpresa, dadas as circunstâncias, mas afeta mesmo assim. Afeta de uma forma sem igual.

Cheguei a conclusão de que todas as especificidades que compõem esta obra são uma tentativa de abrir os olhos dos leitores. E eu nunca desejei tanto que as pessoas lessem um livro, como desejei que elas lessem Comer Animais. O meu desejo de ver as pessoas lendo esse livro ultrapassou o meu desejo de ver as pessoas lendo Orgulho e Preconceito. Isso é, se você me conhece, um fato bastante importante a ser considerado.


Vamos ao conteúdo do livro. Comer Animais nos fornece estatísticas notáveis acerca do consumo de carne, dos malefícios do mesmo a saúde, da exploração e do holocausto animal. Comer Animais, eu diria, une a lógica à emoção:

A lógica, porque apresenta dados precisos e lógicos. Foer cita, por exemplo, como o excremento dos porcos criados em criações industriais despejados em lagoas afeta o ser humano, além de mencionar quais as consequências de se morar perto de uma dessas criações industriais, ele coloca que “a neblina fecal que são obrigados a respirar (as pessoas que moram perto de criações) em geral não mata seres humanos, mas gargantas inflamadas, dores de cabeça, tosse, coriza, diarreia e até mesmo doenças psicológicas, incluindo níveis anormais de tensão, depressão, raiva e cansaço, são comuns”. Ou seja, há uma grande propensão de esses moradores desenvolverem os pontos mencionados acima. Mas as coisas não param por aí. O excremento dos porcos traz consequências devastadoras para o meio ambiente. E isso é só um dos muitos tópicos abordados por Foer. 

E a emoção, porque expõe a consequência a qual os animais (bois, vacas, galinhas, perus, porcos, etc.) são sujeitos durante a sua sobrevivência antes do abate. Vamos exemplificar: em granjas industriais não existe “bem estar animal”. Eles sobrevivem em ambientes fechados e extremamente pequenos, o que os leva a um nível de estresse altíssimo, além de receberem muitos medicamentos, antibióticos que os fazem crescer e engordar mais rápido, entre muitos outros. Uma galinha poedeira (aquela criada para colocar ovos), por exemplo, passa a vida dentro de um cubículo de 432 centímetros quadrados, a imagem abaixo registra o quanto essa quantidade equivale. Foer, de modo geral e muitas vezes de forma irônica, une o cérebro e o coração. Ele traz números, mas também foca no sentimento. 


Você pode ser indiferente a tudo isso, é um direito seu. Porém, caso tenha a oportunidade de ler integralmente Comer Animais, eu arriscaria dizer que ao concluir a leitura, a sua indiferença diminuirá consideravelmente. Poder ser que não seja pela questão do descaso animal ou a devastação ambiental, talvez seja unicamente pelo que afeta você, homem. Somos adultos, sabemos que não são somente as coisas que vemos que realmente acontecem. E Comer Animais nos dá uma ideia de como as coisas realmente são, a obra nos mostra como a indústria da carne afeta não somente aos animais, ela afeta o meio ambiente e a todos nós. 

“Os poderosos e influentes do setor da criação industrial de animais sabem que o modelo de seu negócio depende de os consumidores não poderem ver (ou ouvir falar sobre) o que eles fazem.” 

Foer ainda fala sobre aqueles animais que muitas vezes são esquecidos por nós, porque não expressam seus sentimentos de forma tão intensamente visível, os peixes. O autor expõe detalhadamente o porquê de os peixes serem os únicos animais a não conseguir tentar ter uma boa morte. 

“Quer estejamos falando de espécies de peixes, porcos ou algum outro animal que comemos, será que esse sofrimento é a coisa mais importante do mundo? Claro que não. Mas essa não é a questão. Será que ele é mais importante do que sushi, do que bacon ou do que nuggets de frango? Essa é a questão.” 

E ele vai além. Traz-nos uma visão ampla dos matadouros de gados, porcos e aves. Acrescenta depoimentos daqueles que defendem o bem-estar animal, mas que trabalham em criações de animais, ou ainda, traz o depoimento de um vegano que ajuda a construir matadouros, entre muitas outras informações chocantes, horríveis e infelizmente, verdadeiras. O livro é organizado por subtítulos interessantes e inteligentes. A minha edição é da editora Rocco e apesar de as folhas serem brancas, o trabalho de capa está maravilhoso, o verde que remete a natureza e os pelos saindo das letras e talheres foi muito criativo.

“Vivemos num mundo em que é banal tratar um animal como um pedaço de madeira e coisa de extremista tratar um animal como animal.” 

Queria dedicar um parágrafo dessa resenha para brevemente expor os meus sentimentos sobre o livro. Houve momentos em que fiquei chocada, eu derramei muitas lágrimas, fiquei tonta e senti meu estômago revirar. Meu coração sofreu, sofreu muito, mas ainda assim, me senti privilegiada por estar conhecendo um pouco mais da realidade dos animais de criação em indústrias. Apesar de todas essas reações ruins, não posso negar que a leitura foi muito importante, muito importante mesmo. E que eu pretendo reler e já comecei a procurar pelas referências de livros feitas pelo autor.

Comer Animais foi escrito para todos aqueles que querem conhecer a realidade que nos cerca, detalhadamente. Foer fez muitas pesquisas para escrevê-lo e o resultado não poderia ser melhor. Portanto, o livro nos apresenta, entre tantas outras coisas, como a escolha alimentar das pessoas afeta muito “a ecologia do planeta e a vida dos animais”. E por fim, Comer Animais entrou para a minha lista de livros favoritos. Concluo com a seguinte citação:

“Não podemos alegar ignorância, apenas indiferença. As gerações que vivem hoje são gerações a par dos erros. Temos o fardo e a oportunidade de viver no momento em que a crítica à criação industrial chegou à consciência popular. Somos aqueles a quem será perguntado, com justiça, o que você fez quando ficou sabendo a verdade sobre comer animais?


46 comentários:

  1. Que resenha maravilhosa! Lendo o final do texto, no qual a citação fala que “Não podemos alegar ignorância, apenas indiferença.", fiquei pensando no motivo de eu ter me tornado vegetariana: eu sabia há muito tempo qual era a realidade dos abatedores e criadouros, sabia que estava comendo sofrimento em cada refeição, depois de muito tempo, resolvi que não deveria mais patrocinar tudo isso e penso que as pessoas, cada vez mais, vão se conscientizar de que esse é o caminho, não só para uma alimentação saudável, como também para um consumo mais consciente e humanitário de alimentos. Essa é a minha esperança.

    Parabéns pela resenha, está ótima.

    Beijinhos, Hel - Leituras & Gatices

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Helena! Que bom que você gostou da resenha.
      A grande verdade é que as pessoas conseguem mudar quando querem. A vontade de fazer a diferença é o que as move.
      Beijos

      Excluir
  2. Olá
    Eu não conhecia esse título, e de qualquer maneira confesso que não é um livro que eu leria. Foi interessante ler sua resenha e conhecer alguns pontos em destaque, especialmente porque acredito que pode chamar muito a atenção essa temática. É ótimo para conhecer nossa realidade mesmo, e adorei o trecho que você colocou.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, que bom que gostou de ler a resenha!
      Beijos

      Excluir
  3. É foda ler um livro que nos choca ao ponto de querer mudar algo em nós mesmo. Ou querer que as pessoas mudem em si.
    Já tive esse sentimento em outras leituras.
    Não conheço a obra, fiquei curiosa com ela.

    ResponderExcluir
  4. Olá Thami,
    Eu acompanhei toda sua trajetória ao ler esse livro e, inclusive, li muitos trechos contigo, não é? A cada vez que você falava dele, eu pensava em quão difícil seria para você resenhá-lo, mas você fez isso muito bem!
    Você sabe que não sou indiferente e conheço o sofrimento desses animais, não é? Mas, por mais que eu tente, ainda não consegui abdicar da carne em minha vida, coisa que adoraria fazer em breve.
    Entendo a importância desse livro em sua vida e acho que será importante na vida de muitos outros leitores.
    Preciso ler para ontem!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bru!
      Verdade. Obrigada por me aguentar, haha.
      Tenho muita esperança em você, minha linda. Já reconheço a sua preocupação e isso é maravilhoso.
      Espero que leia e aprecie a leitura!
      Beijocas

      Excluir
  5. Eu já não gosto de comer nada que um dia já foi vivo e, agora que li a sua resenha, eu estou ainda mais chocada. Eu sempre estou de olho nesses assuntos, assisto muitos vídeos e sempre choro, fico chocada e indignada. Nunca vou me esquecer de um abatedouro ilegal de galinhas que me tirou o sono por muitas semanas. Mas, é bem verdade que não dispenso os mascarados como hamburguer, salsicha, almondegas, pré-fritos...

    Eu fiquei muito curiosa com esse livro, seu que também vou ficar chocada e chocar bastante, mas preciso saber mais sobre o assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então acredito que você iria gostar de ler o livro. A leitura seria muito proveitosa para você. E garanto que vai fazer você pensar duas vezes quanto a comer "os mascarados".
      Espero que leia!
      Beijos

      Excluir
  6. Hey!
    Eu já tinha visto um documentário uma vez que falava sobre o gás que as vacas produzem faz mal para a camada de ozônio, alguma coisa assim, não me lembro bem. Eu já sabia que a grande produção de animais em industrias é realmente triste. No entanto, eu simplesmente não consigo mudar os meus hábitos alimentares; cresci desde pequena comendo carne e parar agora não seria uma tarefa fácil, principalmente porque sou muito chata pra comer. Fico imaginando o quão culpada eu me sentiria lendo esse livro. O que me consola, é que esses animais, por mais que não tenham uma vida boa, eles já foram criados em cativeiro, não conhecem outra vida, por isso não sofrem tanto, acredito. Fiquei muito curiosa para ler esse livro.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Eduarda. Os danos são infinitos!
      Acredito muito que, quando queremos muito alguma coisa, conseguimos realizá-la. É nisso que eu acredito. Mas o livro não foi escrito para culpar ninguém, ele só está mostrando a realidade que nos cerca. Se você acha que vai se sentir culpada, talvez pense em mudar alguma coisa em si.

      Preciso dizer que discordo totalmente disso que você colocou: "O que me consola, é que esses animais, por mais que não tenham uma vida boa, eles já foram criados em cativeiro, não conhecem outra vida, por isso não sofrem tanto, acredito."

      Esses animais sofrem MUITO. A sua colocação, infelizmente, foi bastante equivocada. As condições em que esses animais vivem são precárias e não, não é porque eles não conhecem o outro lado que eles "não sofrem tanto". Imagine viver como uma escrava, seu corpo não é seu, é de qualquer um. Você não pode se mexer porque fica num lugar tão pequeno que o máximo que consegue fazer é se deitar. Você não está inconsciente, observa tudo ao seu redor, sente tudo ao seu redor. Isso é o suficiente para sofrer MUITO. Não há conforto, não há nada além de dor. E um prazo.

      Espero que leia o livro e entenda que sua colocação não faz sentido.
      Obrigada pela visita!
      Abraços.

      Excluir
  7. Li um livro do autor, o mais popular: Extremamente Alto e Incrivelmente Perto e foi uma leitura avassaladora. Sabia da existência deste livro, mas o título e a premissa não me animou muito, mas a sua resenha destruiu todo o desanimo que eu tinha em encarar o livro. Achei bem interessante a circunstância que o motivou a escrever e acho que será uma leitura mega proveitosa. Fiquei imaginando essa visão ampla dos matadores e tal e isso me deixou mega curiosa!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia esse livro, com certeza vou procurar.
      Que bom que a resenha provocou isso em você. Espero que leia "Comer Animais" algum dia.
      Beijos

      Excluir
  8. Oi, Thami!
    Pra ser sincera, eu nunca fui muito a fundo para saber como os animais são tratados. Geralmente eu não curto esse tipo de livro, mas sua resenha me convenceu a dar uma chance.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza!
      Boa parte das pessoas não vão a fundo mesmo, é que é meio chocante.
      Obrigada pelo carinho, fiquei feliz em saber que gostou da resenha.
      Beijos

      Excluir
  9. Olá
    Eu não conhecia esse livro até o momento, e confesso que fiquei bem curiosos para conhecer mais sobre a obra, já que toca em um assunto bem importante que é de onde vem a carne que nos comemos,acho que por ser bem longe das leituras habituais de várias pessoas, muitas irão achar desnecessário a sua leitura. Eu confesso que senti isso ao começar a leitura da resenha, mas ao término, vejo que minha opinião mudou muito e espero poder ler o livro rsrs. Até mais vê
    Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Manoel!
      É uma leitura muito importante mesmo, principalmente se você não tem conhecimento de onde vem a carne que consome.
      Que bom que gostou, espero que leia o livro logo.

      Excluir
  10. oI!!!!


    Tenho uma amiga vergana então constantemente ela tenta me convencer a entrar nesse mundo de "verdades". Confesso não quero ler o livro, sei mais ou menos como os animais são tratados e sou egoísta ao ponto de não querer abrir mão dessa proteína que tanto gosto, além de tudo o consumo de outros alimentos são necessários quando se opta por essa dieta, e convenhamos que brasileiro não ganha pra isso. Concordo com o autor em proteger seu filho e querer abrir os olhos dos demais, mas, no momento, não me vejo lendo ou mesmo sendo uma ativista. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Você quis dizer que tem uma amiga *vegana*, não é mesmo? E esse mundo não é um mundo de "verdades", é um mundo de verdades. Deixei de comer a proteína que você gosta, sou brasileira, não sou rica e estou sobrevivendo muito bem. Aliás, muito melhor. É isso. Espero que entenda o meu ponto de vista. Não é obrigado a concordar com ele, assim como eu não sou obrigada a concordar com o seu.
      É uma pena que você não sinta vontade de ler a obra. Enfim, obrigada por ser sincero.

      Excluir
  11. Nossa nunca tinha parado para ver essas questões, comprar esses alimentos é tão automático, que essa perspectiva deixa a gente bem chocado. Gostei do livro por que ele é reflexivo, e faz as pessoas rever conceitos. Gostaria de ler.bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá!! :)

    eu nao conhecia o livro nem sequer conhecia o autor! :) mas fiquei bem interessado e ja adicionei a resenha aos favoritos ara ler o livro mais tarde! :)

    Que bom que favoritaste o livro!! ahah Adorei a ultima citaçao e que o tma seja tao bem tratado e com tanta pesquisa por detras! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Antes de descobrir a obra, eu também não conhecia o autor.
      Que bom que gostou!

      Excluir
  13. Olá!
    Adorei sua resenha, posso ver que esse livro impactou sua vida mesmo. Eu fui vegetariana por uma boa época, mas acabei desistindo porque no lugar que eu moro ou você come carne ou você passa fome, além de tudo ser tão caro que fica difícil. Acho que essa indústria ainda é tão forte por causa disso, não temos para o que correr, é muito difícil ver vegetariano ou vegano no Brasil.
    Beijos.
    https://arsenaldeideiasblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carolina!
      Não concordo com a sua opinião quanto ao fato de ser difícil ser vegetariano.
      Mas obrigada, que bom que gostou da resenha.
      Beijos

      Excluir
  14. Oi!
    Não conhecia esse livro mas fiquei chocada, por falta de palavra melhor, com o que você relatou na sua resenha e confesso que fiquei sem saber o que dizer mas louca para ler esse livro e entender melhor o que o autor quis passar.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Larissa!
      Que bom que sentiu vontade de ler.
      Beijos

      Excluir
  15. Que livro interessante! Eu tinha visto alguns comentários sobre ele, mas sua resenha foi a mais completa que li até agora. Gostei muito de saber tua opinião. Apesar de não ser vegetariana eu fiquei interessada na leitura para saber melhor sobre o assunto. Pelo seu texto deu para perceber o quanto o livro te tocou! Adorei saber tua opinião!
    Beijooos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Gabrielly!
      O livro virou favorito.
      Beijos

      Excluir
  16. Olá,

    Gostei muito do assunto abordado no livro, afinal o consumo de carne é uma indústria muito louca e por vezes não sabemos qual a realidade por trás dos nossos pratos. Imagino que você tenha feito descobertas interessantes na história e fiquei muito tentada a conhecer a obra. Por vezes vejo pessoas discutindo esse assunto e gostaria muito de estar mais informada para formar minhas próprias concepções. Vou comprar um exemplar para mim e indicar para alguns amigos também.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vivianne!
      Que bom que a resenha a fez pensar em tomar tal atitude.
      Boa leitura!
      Beijos

      Excluir
  17. Oi
    É um livro bem diferente do que estou acostumada a ler, mas confesso que não tenho tanta curiosidade assim.
    Sou contra o consumo exagerado. Não importa se é de animais ou qualquer outra coisa. Pessoalmente sou contra esses radicalismo, pois se a lógica é poupar seres vivos, plantas também são. Mas acredito que foi uma experiência incrível para você, principalmente devido as várias marcações que você fez no livro.
    Parabéns pela resenha.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Radicalismo? Desculpe-me, Rízia, mas você não usou a palavra adequada.
      Leia a obra ou simplesmente pesquise melhor e tenho certeza que você deixará de usar essa palavra nesse contexto. E só para constar, há uma questão interessante sobre as plantas: elas não tem sistema nervoso, os animais têm.
      Obrigada!
      Beijos

      Excluir
  18. Olá!

    Não conhecia este livro ainda. Achei bem interessante, mas não sei se eu leria, pois já me impressionei algumas vezes e tentei cortar a carne, mas não funcionou muito bem para mim. Entretanto algumas coisas me chamaram a atenção nisso tudo como Engenheira Química e vi que essa indústria envolve bem mais do que o abate de animais criados de forma precária (não que isso seja pouca coisa). Vi que essa indústria não se preocupa com o meio ambiente e deviam se preocupar mais em como descartar os poluentes ou até mesmo investir em formas de tratamento para estes, e olha sempre estão sendo pesquisadas formas de tratamentos para efluentes industriais.
    Fico feliz que você tenha gostado tanto da leitura colocando ele acima de Orgulho e Preconceito que ao que parece é o seu favorito.
    Sua resenha esta incrível!
    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  19. Oie!
    Não vou mentir, dizendo que o livro não me chamou a atenção, mas não é algo que pretendo ler. Mesmo ficando intrigada, tem certas verdades que prefiro manter na ignorancia. Não que o livro não seja interessante, deu para notar pela sua resenha que é de importante leitura, mas não é algo que vou ler agora.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela sinceridade.
      Muitos seres humanos preferem se manter na ignorância, pois a realidade nessa questão funciona como um choque.
      Beijos

      Excluir
  20. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro, mas fiquei bem curiosa, porque nunca vi um livro parecido com esse e muito menos li um. O tema abordado é muito importante é com certeza deve ser uma leitura bem chocante mesmo, que deve fazer o leitor refletir muito e ter várias reações. Enfim, é uma dica muito boa, vou marcar e espero ler um dia.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  21. Este não é um livro que me chamaria a atenção, não costumo ler obras do gênero. Mas preciso reconhecer que é um assunto muito pertinente, além de polêmico. Parece-me que temos tido uma onda de conscientização no que se refere à alimentação, incluindo as dietas à base de carne. Pessoalmente acho positivo que se questione isso, mas sempre levando me conta que não é uma mudança fácil para um organismo acostumado a alimentar-se de algo potente como a carne. eu imagino o quanto você ficou mexida com o livro, acho que eu também teria ficado chocada e derramado muitas lágrimas. é uma assunto que, realmente, emociona.

    Tatiana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser que não seja fácil para alguns, mas o importante é que é possível. ♥

      Excluir
  22. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda e devo admitir que chamou muito minha atenção, achei que o livro traz um assunto importante e que eu não conhecia até então. gostei muito da sua resenha e adorei conhecer o livro, com toda certeza já adicionei na minha lista!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  23. Oie!!!
    Eu não conhecia o livro e nem o autor. Achei bem interessante ele ter partido de uma pesquisa particular e ter virado um "livro- documentário"!
    Em certos momentos de sua resenha parecia que eu estava assistindo a um documentário e digo isso para ressaltar como você a fez muito bem! Gostei muito da parte logo no início na qual voce comenta que "tem que" ajudar a propagar e divulgar o livro, pois isso significa a internalização do mesmo e quando isto acontece com uma leitura é muito bom! Parabéns!
    Agradeço a dica de leitura!
    Bjinhos ;)
    Elaine M. Escovedo
    Http://www.caminhandoentelivros.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha a oportunidade de lê-lo algum dia.
      Beijos

      Excluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com