sábado, 29 de abril de 2017

TAG: Doenças Literárias

Oi, pessoal! Tudo certo com vocês? Hoje é dia de TAG! Eu encontrei "Doenças Literárias" no blog da querida da Luiza, o Balaio de Babados, adorei as questões e decidi responder também, vejamos quais foram as minhas respostas:

1. Diabetes: um livro muito doce.

Senhora: Aurélia Camargo, filha de uma pobre costureira e órfã de pai, apaixonou-se por Fernando Seixas – homem ambicioso - a quem namorou. Este, porém, desfez a relação, movido pela vontade de se casar com uma moça rica, Adelaide Amaral, e pelo dote ao qual teria direito de receber.
Passado algum tempo, Aurélia, já órfã de mãe também, recebe uma grande herança do avô e ascende socialmente.Passa, pois, a ser figura de destaque nos eventos da sociedade da época.
Dividida entre o amor e o orgulho ferido, ela encarrega seu tutor e tio, Lemos, de negociar seu casamento com Fernando por um dote de cem contos de réis. O acordo realizado inclui, como uma de suas cláusulas, o desconhecimento da identidade da noiva por parte do contratado até as vésperas do casamento.
Ao descobrir que sua noiva é Aurélia, Fernando se sente um felizardo, pois, na verdade, nunca deixara de amá-la. E abre seu coração para ela.
A jovem, porém, na noite de núpcias, deixa claro: "comprou-o" para representar o papel de marido que uma mulher na sua posição social deve ter. Dormiram em quartos separados. Aurélia não só não pretende entregar-se a ele, como aproveita as oportunidades que o cotidiano lhe oferece para criticá-lo com ironia. Durante meses, uma relação conjugal marcada pelas ofensas e o sarcasmo se desenvolve entre os dois.

2. Catapora: um livro que você leu e não lerá de novo.

O Duque e Eu: Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.






3. Ciclo Menstrual: um livro que você relê constantemente.



Orgulho e Preconceito: Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica à futilidade das mulheres na voz dessa admirável heroína — recompensada, ao final, com uma felicidade que não lhe parecia possível na classe em que nasceu.


4. Gripe: um livro que se espalhou como vírus. 



Perdida: Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo e lindo Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos... 

5. Asma: um livro que tirou seu fôlego. 


Jantar Secreto: Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.


6. Insônia: um livro que tirou o sono.



Comer Animais: Em seu primeiro livro de não ficção, Comer animais, Jonathan Safran Foer, autor do premiado Tudo se ilumina, publicado pela Rocco, mergulha no mundo da chamada pecuária industrial nos Estados Unidos – a criação intensiva de aves, porcos e bois –, assim como na pesca em larga escala e suas implicações para o meio ambiente. Após três anos de pesquisas, o resultado é um panorama assustador. Para que, levando em conta a inflação, a proteína animal custe hoje mais barato do que em qualquer outro momento da história americana, animais são submetidos a maus-tratos e abatidos para o consumo deformados e doentes; há pouco ou nenhum escrutínio público e supervisão eficiente por parte das autoridades sanitárias; rios e cursos d’água subterrâneos são poluídos por excrementos e dejetos da produção, com os custos, no sentido mais amplo da palavra, repassados à sociedade; e os ecossistemas do planeta correm risco de colapso em um futuro não tão distante.

7. Amnésia: um livro que você não se lembra muito bem. 

A cidade do sol: Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos.
Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: "Você pode ser tudo o que quiser." Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela história, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a história continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do "todo humano", somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.

8. Má nutrição: um livro que faltou conteúdo para reflexão. 


Preconceito, orgulho & café: Se conheceram em um dia comum, nunca poderiam imaginar ter suas vidas alteradas naquela segunda-feira. Um encontro casual despretensioso e marcante como o primeiro gole de café quentinho logo de manhã. Tentador também... Depois de uma breve aula de degustação, ele fica caído; encantado tanto pela mulher charmosa quanto pela vital dose de cafeína. Ela resiste, mas a atração fala mais alto.
Tubarões, golfinhos, um lobo mau, os belos olhos de uma bela mulher, saltos altos, gravatinhas e muitas reviravoltas na paixão avassaladora os unindo. E aguçando os paladares... O Rio de Janeiro, no espaço de um ano mais ou menos, é cúmplice e testemunha desta inversão de Orgulho e Preconceito, o clássico de Jane Austen. Aqui, o charmoso Mr. Darcy (rebatizado de Luís Maurício Noronha) é de classe média e apesar de resistir, apaixona-se perdidamente quando conhece Elizabeth Bennet (chamada Maria Antonia Marisguia), uma linda princesa milionária da Zona Sul.

9. Doenças de viagem: um livro que leva para outra época/mundo/lugar.


É Proibido Sorrir: Baingani vive há século num sistema, a Política Vermelha manda e ponto final. Mas embaixo da sua cidade, embaixo da Praça Vermelha que já viu tanto sangue, embaixo das pessoas que já ouviram tantos gritos de tortura, se encontram os túneis. Túneis tão secretos quanto seus donos e a origem das Políticas. E são nesses túneis que se encontram as respostas. É em cada símbolo azul, que se encontra a resistência que lutará pela liberdade.
Em um mundo onde homens lideram, o que você fará? O que fará quando está confinado à uma Política Vermelha, onde o mais simples ato de sorrir é completamente proibido?




É isso aí, pessoal! O que acharam da TAG? Eu não tive dificuldade em respondê-la, todos os livros escolhidos vieram rapidamente na minha mente conforme suas categorias. Não vou indicar ninguém, mas sintam-se a vontade para responder, caso queiram. Beijocas! 💛

10 comentários:

  1. Oi Thami, td bem? Adoro essa tag!
    Sério que "Senhora" é um livro muito doce? Sempre quis ler algo do José de Alencar, esse é um dos que mais me chama a atenção! Perdida eu ainda pretendo ler esse ano!
    Adorei suas respostas, bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol. Tudo bem e com você?
      Sim, "Senhora" é bastante doce, está num período onde a idealização da mulher está em alta, por isso o coloquei aí. Mas, existe uma grande reviravolta que não é nada doce, hahaha.
      Eu recomendo a leitura de "Lucíola", é o meu favorito do José de Alencar.
      Que bom que gostou das respostas. Obrigada pela visita! ♥
      Beijinhos

      Excluir
  2. Oi, Thami!
    Menina, realmente Perdida se espalhou como vírus. Mas é uma história tão gostosa que vale a pena..
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção #Sorteio1KSeguidores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Ah se todos os vírus fossem como "Perdida", haha. ♥
      Beijos

      Excluir
  3. Oie! Adorei a tag! Haha
    Morro de vontade de ler É Poribido Sorrir, e isso aumentou agora ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! <3
      A Esther arrasa, você irá adorar!
      Beijos

      Excluir
  4. Oi Thami
    Sou louca pra ler Orgulho e preconceito, mas só tenho em PDF. Tenho É proibido sorrir aqui e estou louca pra ler ele logo.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lary!
      Espero que você leia algum dia (os dois). São lindos. ❤
      Beijos

      Excluir
  5. Olá Thamiris! Acho que já respondi esta TAG em algum momento, é realmente fácil de fazer. Lembro bem de A cidade do Sol, que livro triste! Ao esquecer sua memória deve estar sendo seletiva. Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria! ❤
      Sim, é um livro muito triste.
      Beijos

      Excluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com