terça-feira, 24 de abril de 2018

Resenha: Poemas ao desabrigo - Raul de Taunay

Título: Poemas ao desabrigo
Autor: Raul de Taunay
Editora: 7Letras
Nº de páginas: 107
Ano: 2016

Resenha publicada originalmente em Um Oceano de Histórias.

Poemas ao desabrigo é uma antologia de poemas do poeta, romancista e cronista Raul de Taunay. Neste livro, somos convidados a perceber a poesia que existe no próprio desabrigo, ou seja, nas tempestades, nas ruas, no vento e em tudo o mais que se encontra desabrigado. 

Não procurarei julgar a qualidade da obra, até porque não sou a pessoa mais indicada para isso, então procurarei expressar somente o que eu senti lendo Poemas ao desabrigo. E para começar: de acordo com o meu ponto de vista, Taunay sabe usar tão bem as palavras, algumas de suas combinações me causaram suspiros e tremores, e penso eu, que a poesia talvez tenha também este objetivo. 

Os poemas, assim como muitas antologias, têm uma temática variada. Temos aqui, entre tantos outros temas, poemas que fazem questionamentos sobre as mais diversas coisas, como também temos poemas sobre poemas, o que eu adoro, e principalmente – digo principalmente pois foi o que mais chamou a minha atenção –, temos poemas sobre lugares... E, quem sabe, saudades de casa. 


Assim como acontece com qualquer outro livro de poemas, alguns me prenderam mais, outros menos, outros muito, outros nada. Falemos então sobre os que muito me prenderam: eu os amei. Eu me apaixonei por cada um deles, e eles fizeram com que a leitura da obra valesse a pena. Um dos meus favoritos se intitula “Desafogo” e discorre sobre a função da poesia, ou melhor, uma reclamação da própria poesia sobre como as pessoas enxergam a poesia. Genial! 

"Podes ser cheio de ideias, podes até ser maneiro,
Podes ter a grana alta para bancar a publicação;
Mas não podes e não deves me confundir com roteiro,
Não sou guião emprestado, nem projeto alcoviteiro;
Sou encanto puro e simples que nasce do coração."² 

Assim, concluo esta resenha colocando que, caso você goste de poemas, seria interessante ter em mãos Poemas ao desabrigo e conhecer um pouco da poesia de Taunay, que está, insisto, do lado de fora. É lindo e vale muito a pena! 

¹ Trecho do poema "Andrajos".
² Trecho do poema "Desafogo".


TAUNAY, Raul de. Poemas ao desabrigo. Rio de Janeiro: 7Letras, 2016.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com