segunda-feira, 10 de julho de 2017

Resenha: O sol também é uma estrela - Nicola Yoon

Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.
Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.
O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?

O sol também é uma estrela, escrito pela autora Nicola Yoon e publicado pela Editora Arqueiro em 2017, é um livro sobre o destino e a ciência, duas coisas completamente diferentes. 

"Ele acha que meu cabelo cheira a chuva de primavera. Estou tentando mesmo permanecer impassível e não me deixar afetar . Lembro que não gosto de linguagem poética. Não gosto de poesia. Nem gosto de pessoas que gostam de poesia. Mas também não estou morta por dentro." (p. 123)

Natasha é jamaicana, mas vive como imigrante ilegal em Nova York. Seu pai, em um momento em que estava dirigindo embriagado, acabou contando para um policial a situação ilegal de sua família, por conta disso, eles serão deportados no final do dia. Natasha ama a cidade onde vive, ama o universo científico, é bastante racional e não quer voltar para a Jamaica, a culpa disso é de seu pai, ela o detesta.

Daniel é coreano e americano. Ele vive em Nova York com sua família coreana. O garoto tem um péssimo relacionamento com seu irmão, Charles, que é um idiota. Daniel gosta mesmo é de escrever poesias, mas está prestes a fazer uma entrevista para começar a faculdade de Medicina, que é a vontade de seus pais, principalmente seu pai. Ele acredita no amor, em Deus e no destino. 

O sol também é uma estrela se passa em um único dia. Natasha e Daniel se conhecem por obra do destino (ou do acaso), no dia em que ela será deportada. O garoto gosta dela logo de cara, e propõe à ela que façam um teste cientifico, já que ela aparenta gostar tanto da ciência, que fará com que eles se apaixonem um pelo outro até o final do dia. Ela topa. Será que dará certo? Eles se apaixonarão um pelo outro? Mas Natasha vai embora no final do dia... Como Daniel poderá reagir?


Decidi solicitar O sol também é uma estrela pois li Tudo e todas as coisas e adorei. Cheguei à conclusão de que prefiro Tudo e todas as coisas, mas O sol também é uma estrela é um livro maravilhoso!

"Estudos demonstram que as pupilas das pessoas que se sentem mutuamente atraídas dilatam por causa da presença de dopamina. Outros estudos sugerem que riscas nos olhos podem indicar tendências de personalidade, e que talvez os olhos sejam afinal de contas uma espécie de janelas para a alma." (p. 226)

A primeira consideração que tenho a fazer é sobre a estrutura do texto. A autora construiu uma história muito consistente que se passa durante um único dia. A narração varia entre Natasha e Daniel, mas também existem capítulos em terceira pessoa com informações cientificas muito bacanas e alguns capítulos são reservados para os personagens secundários da história, aqueles que poderiam ser insignificantes, mas Yoon se encarregou de dar um significado maior para todos eles. Por exemplo, a garçonete que atendeu Natasha e Daniel tem uma história, e essa história é contada pela autora. O mesmo acontece com a recepcionista, o advogado, a segurança Irene, etc. Todos têm uma história, que é contada, ainda que brevemente. Achei isso sensacional, simplesmente incrível! E há uma explicação para tudo, por exemplo, Natasha não é assim tão racional por acaso, há algo por trás disso.

"Crescer e ver os defeitos dos pais é como perder a fé. Não acredito mais em Deus. Também não acredito no meu pai." (p. 177)

O sol também é uma estrela têm capítulos curtos e envolventes. A autora aborda uma série de assuntos sérios em meio a uma história gostosa de um dia estranho entre dois jovens. O preconceito é um assunto presente no livro, tratado de forma sutil, bem como aquela questão de seguirmos uma profissão somente porque a nossa família quer. Também refletimos sobre o destino: ele existe mesmo? Ou tudo acontece por acaso? Mas, quero dar ênfase a um tema em especial: a família. Nicola Yoon escreveu sobre coisas que todos nós pensamos sobre os nossos familiares, mas nunca falamos. Isso me fez refletir de uma forma indescritível. Palmas para Yoon.

"Mas não podíamos culpá-la. De forma nenhuma. Meu pai vinha desperdiçando a vida em sonhos havia anos. Vivia naquelas peças e não no mundo real. Ainda vive. Minha mãe não tinha mais tempo para sonhar. Nem eu." (p. 171)

Os protagonistas são adoráveis. Eu me apaixonei pelo casal e por suas diferenças. Eles são completamente diferentes, e é muito bacana ver como eles se relacionam por conta disso, como aprendem um com o outro, ainda que sejam tão jovens. E os demais personagens se encaixaram perfeitamente na história, todos têm uma personalidade bem delimitada, todos foram bem construídos.

Apesar de tudo, eu ainda acredito no amor. E já desconfiava do final. Mas nem tudo é imprevisível, e algumas vezes, a previsibilidade nos protege. De modo geral, a história é condizente com seu gênero e condição. Gostei muito do livro e me sinto satisfeita.



Referência: YOON, Nicola. O sol também é uma estrela. São Paulo: Arqueiro, 2017.


11 comentários:

  1. Eu tenho muita curiosidade em ler o livro porque muita gente fala bem dele mas não conhecia sobre o que era, agora que li sua resenha estou mais curiosa ainda. Eu não curto muito livros que se passam em um dia mas acho que nesse caso faz todo o sentido e já quero muito ler :))
    Beijo!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que bom saber disso, Betânia. E sim, faz bastante sentido, haha.
      Beijocas

      Excluir
  2. Aiii esse livro está aqui na estante pedindo a minha atenção há algum tempo, mas não tive ainda tempo pra ler hahaha
    Mas quero ler sim!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que você irá gostar bastante dele! :)

      Excluir
  3. Adoro histórias assim, acredito que o amor nas diferenças pode ser tão intenso quanto nas semelhanças. Preciso ler esse amiga haushssush beijos 💙

    ResponderExcluir
  4. Super fiquei com vontade de ler

    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Thami!!! Nem acredito esse livro ainda está me esperando na estante. Quero muito conhecer a escrita da Nicola Yoon. Fico feliz que o livro tenha sido satisfatório para você, mas senti que faltou alguma coisinha para você amar ele. Espero poder ler em breve para conversar com mais detalhes sobre isso com você :)

    beijinhos

    Psicose da Nina | Instagram
    Colunista no Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nina!
      Você captou exatamente o que eu quis passar. Leia logo para conversarmos sobre ele. ♥
      Beijocas

      Excluir
  6. Amei sua resenha. Já tinha lido outras mais nenhuma me fez ficar interessada pelo livro como a sua. Vai para a minha lista de desejos com certeza!

    nayanemartins.com

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com