segunda-feira, 29 de maio de 2017

Resenha: Se o vento diz - José Fernando Guedes


Sinopse: Uma visão muito particular da vida – por quem lida, no dia a dia, com a morte – está expressa de maneira delicada e suave, e ao mesmo tempo incisiva, nas poesias de Se o vento diz. O autor é o neurocirugião carioca José Fernando Guedes, cuja maior parte do tempo é dedicada à incrível tarefa de reparar a ‘morada da alma’, para ser mais poético, ou o ‘hardware mental’, para ser mais pragmático, de seus pacientes. O restante, ele investe na escrita e no manancial onde se abastece: a observação atenta da natureza. Os poemas de Se o vento diz refletem esses momentos de introspecção que deságuam em insights preciosos do autor, expostos em seus versos.


Resenha publicada originalmente no blog Um Oceano de Histórias.

Se o vento diz reúne uma antologia de lindas poesias escritas por José Fernando Guedes.

“Às vezes, para se fazer entender
Há que se calar
O que é outra forma de gritar.”

Eu adoro ler poesias. Sinto uma satisfação enorme quando leio uma poesia que me agrada e toca o fundinho do meu coração. Sim, sou uma pessoa com uma visão totalmente romantizada, que me perdoem os formalistas. E as poesias de José Fernando Guedes tocaram sim, bem no fundinho, talvez até algo mais além.

"Mais um aniversário
Mais um ano, mais um talho
E me deixou pender
Confuso e solitário
Como um ato falho
Do galho de uma árvore que envelhece
E da qual mal se reconhece o perfil quando anoitece
Mas que renasce em pássaros
Quando o dia amanhece."

O livro reúne precisamente 50 poesias, com as mais variadas temáticas, mas existe um enfoque na natureza, nos fenômenos naturais, como o título sugere. Entre os temas, temos também a saudade, as fases da vida, o amor, a solidão, e fidelidade, a união, a família, o processo de amadurecimento, a juventude, os poemas, as coisas simples e importantes da vida... Tudo isso numa escrita recheada de metáforas e muito sentimento.

Entre as muitas poesias que favoritei, estão: “Olho pela janela”, poema que narra as sequências da vida de uma forma singela e profunda; “Reencarnação”, poema que, como o título sugere, expõe a forma como o eu-lírico gostaria de voltar em uma outra vida; e “Cão aninhado”, um poema que me fez imaginar cada pequeno detalhe do que é narrado e me emocionou imensamente. 

"Mas voarei à direita e a esquerda
Acima, abaixo, ao lado e além
Sem prestar contas a chefe ou superior
Somente ao céu e mais ninguém.”

Se o vento diz é mais um daqueles livros especiais que eu vou ler e reler até quando for possível. As poesias são fortes, sensíveis e muitas vezes contém, em suas composições, uma boa dose de ambiguidade. Estou apaixonada!


2 comentários:

  1. Olá Thamiris! São lindas mesmo, eu também adoro poesia. Mas para ler poesia eu gosto de reservar mais tempo, ao contrário da prosa, poesia requer sensibilidade e atenção. Digo sempre que ser poeta é um dom, veja o caso do autor que é médico e escreveu versos tão bonitos. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria!
      Com toda certeza. Eu sempre leio livros de poemas aos poucos.
      Beijocas

      Excluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com