segunda-feira, 11 de julho de 2016

Conto: A menina Isabel e o amor pelos animais


"Com os olhos cheios de lágrimas e o coração apertadinho, Isabel parou diante daquele serzinho vulnerável e o acariciou atrás das orelhas. 

- Vamos levá-lo, mamãe? Por favor!
- Não, Isabel. Solte logo esse cachorro, talvez ele tenha alguma doença e ainda passe para você. 

Isabel fez um último afago ao bichinho, deu um passo para trás, pegou na mão da mãe e seguiu andando, vez ou outra olhando para trás. O cachorrinho sumiu na multidão, Isabel não o via mais. Durante o caminho para casa, ela ficava pensando: como pode tanta gente passar por ele, olhar para ele e mesmo assim, não enxergá-lo?

Quando esse episódio aconteceu, Isabel era uma doce menina de seis anos. Tinha os olhos castanhos e redondos como jabuticabas e seus cabelos eram pretos e cacheados. Ainda estava aprendendo a ler, mas já era muito inteligente e repetia tudo o que ouvia de forma adequada. Vez ou outra expressava sentimentos profundos demais para uma criança tão pequenina. A mãe só queria o seu bem, e não foi por mal que pediu que Isabel se afastasse do animal, ela estava apenas protegendo aquilo que há de mais precioso em sua vida: sua filha. 

No jardim de infância, Isabel teve aulas com uma professora bastante especial: Eliza. Entre tantas outras coisas, Eliza tentou ensinar aos seus pequenos alunos, a importância de querer bem aos animais, principalmente aqueles que foram abandonados. Ela dizia que eles estavam vagando por aí porque alguém muito malvado os abandonou, que eles eram animais abandonados e não, como muitos pensam, animais de rua

Isabel, que tinha o coração do tamanho do mundo e sempre parava na rua para acariciar um bichinho, nunca esqueceu a mensagem que a professora Eliza passou. Principalmente porque ela nunca pôde ter um animal de estimação. Depois que seu pai foi embora, sua mãe trabalhava praticamente o dia todo para sustentar a filha e vivia dizendo que não teria tempo de cuidar de um cachorro, que era o que Isabel queria ter. Desde sempre, Isabel pedia a mãe para adotar um animal abandonado, mas a mãe dizia:

- Eu não tenho tempo para cuidar de um cachorro, minha filha. E você ainda é muito nova, não tem responsabilidade. 

Passaram-se alguns anos e o discurso se repetia. A mãe não tinha tempo, Isabel não teria responsabilidade. Mais alguns anos e o mesmo discurso. Isabel já havia crescido bastante, já sabia ler, e assim como o seu amor e respeito pelos animais, os olhos permaneciam redondos como jabuticabas.

Quando Isabel fez onze anos, a mãe e ela precisaram se mudar. Elas foram morar num outro bairro, longe da antiga escola. Por conta da distância, a menina precisou mudar de escola também. Na nova escola, agora com onze anos, Isa podia ir a pé e acompanhada dos novos amiguinhos todos os dias. Foi numa sexta-feira ensolarada de março que Isabel, ao voltar da aula, se deparou com uma construção gigantesca. 

- O que é isso, Matheus? – Perguntou Isa ao seu colega.
- É um abrigo, você não sabia?
- Não. Abrigo de quê?
- De animais abandonados.

Os olhinhos de jabuticaba da menina se arregalaram, ficaram úmidos e esperançosos ao mesmo tempo. 

- Vamos entrar? A gente pode?
- Vamos tentar! – respondeu Matheus.

Eles entraram no abrigo. Imaginem a alegria da Isa! Cachorrinhos por todo lado. Se a realidade não fosse tão triste, aquilo até que seria lindo. Depois da primeira vez, Isa passava por lá todos os dias depois da aula, para dar carinho e atenção aos animais do abrigo. Ela fazia a festa naquele lugar, muitos animais a adoravam! Até que um dia, sua mãe acabou descobrindo as visitas. Notou a demora da menina, pediu algumas informações aos vizinhos e descobriu o que a filha andava fazendo. Teria uma conversinha com ela quando chegasse. 

Como de costume, as cinco e vinte a filha chegou. A mãe de Isabel a chamou e disse que elas precisavam conversar.

- Minha filha, andei descobrindo umas coisas. Você anda frequentando o abrigo. Isa, por que você não contou para a mãe?
- Eu... A senhora não iria gostar.
- A princípio não. Mas sabe o que me falaram? Que você era a menina mais cuidadosa e responsável que já tinham visto! E que todos os dias ajudava os tutores a cuidar dos animais. Isa, eu nunca te dei chances quando você pedia para adotar um cachorrinho, pois achava que você não teria responsabilidade. Mas, vejo que você cresceu. Acho que está preparada.

Isabel não soube o que responder. Simplesmente correu até a mãe e a abraçou muito forte. No mesmo dia, as duas foram até o abrigo e trouxeram um lindo cãozinho de cinco aninhos para a casa. O nome dele? Mac! 

Finalmente Isabel pôde ter um companheiro em casa. Sempre que ela chegava, era uma festa só! Eles passeavam, Isa o alimentava, dava banho e carinho. Era uma menininha muito responsável e feliz. 

E o abrigo? Bem, Isa continuava visitando todos os dias. Era uma das melhores coisas a se fazer, ajudar aqueles que não conseguem falar para pedir ajuda."

Por Thamiris Dondóssola.

4 comentários:

  1. Oiii

    Achei o conto super fofo! *-*
    Já disse o quanto gosto do seu jeito todo delicado e especial de escrever e amei a estória e a mensagem linda que ela passa!
    Parabéns Tha! *-*

    Beijos

    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raíssa!
      Puxa, que bom que tu gostou. Muito obrigada por esse carinho que sempre tens com os meus escritos. ♥
      Beijocas

      Excluir
  2. Oi, se eu disser que tô tentando disfarçar que não ta saindo lágrimas dos meus olhos você acreditaria? Me comoveu, primeiro pensei que fosse como qualquer outro conto no qual tivesse uma pitada de clichê e não fosse tão interessante, peço desculpas, o seu conto está mais que perfeito e arrasa com todos que já tentei fazer haha
    Beijos ^-^
    Jardim de Palavras
    Vintage Feelings
    Grande Vaidosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Melissa!
      Fiquei muito feliz com o seu comentário e com o seu elogio.
      Não me peça desculpas, hahaha. Que bom que gostou ♥
      Beijocas

      Excluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com