segunda-feira, 27 de junho de 2016

Cadê o boi que estava lá?

Perto da minha casa tem bastante pasto. É comum eu ver bois e vacas pastando por lá, mas é claro que tem gente que não vê. Sempre que eu volto para a casa, depois da aula, vejo um boi marrom pastando perto do arame. Com a voz baixinha, eu digo: "Oi, boizinho!", e ele fica me olhando com aqueles olhos grandes. 

Foto: Muuuuuuuuu.
Hoje não fui para aula e voltei pra casa mais cedo. Enquanto caminhava da parada até a minha rua, vi um boi deitado no pasto, mas não era o boi marrom. Aliás, já faz alguns dias desde que vi o boi marrom pela última vez. O boi que estava deitado me inspiraria a desenhar, se eu soubesse fazer isso. Certamente daria um lindo quadro. Havia muita árvore por todo o lado, grama verdinha e o boi sentado, lindo e relaxado, pegando sol. Senti uma paz tão grande observando aquilo, que até esbocei um sorriso. É uma pena que a paz tenha durado apenas alguns instantes. 

Qual será a sensação de ser um animal, viver tranquilamente por algum tempo e de uma hora para a outra, ser assassinado para servir de alimento? Pois é a isso que eles estão sujeitos. Não há nada que justifique tal ação. Cadê o boi que estava lá, naquele pasto, sobrevivendo a sua vida? Ele foi descartado, é claro que foi. Eu sei que foi. Ele se alimentou e engordou o suficiente para ir para o lugar no qual a maior parte dos seus familiares também foram: o matadouro. Isso não te assusta? Essa droga de palavra não era nem para existir.

“Nossa situação é estranha. Praticamente todos concordamos que o modo como tratamos os animais e o meio ambiente importa, mas, no entanto, poucos entre nós param para pensar na nossa mais significativa relação com os animais e o meio ambiente. E o que é mais estranho ainda, aqueles que de fato optam por agir de acordo com esses valores nada controversos, recusando-se a comer animais (o que todos concordam que pode reduzir tanto o número de animais maltratados quanto a nossa pegada ecológica), com frequência são considerados marginais ou até mesmo radicais.” (FOER, 2011, p. 82)

Eu adoraria ainda poder estar me perguntando: cadê o boi que estava lá? Mas, infelizmente, não posso. Não posso porque eu sei o que aconteceu com o boi marrom que eu via quase que diariamente. Eu vejo sangue e um corpo pendurado. Eu vejo um assassinato. Um crime. Holocausto animal. Talvez aquele boi marrom seja o bife que você comeu no almoço ontem. Tudo é possível! E não, não quero fazer com que você se sinta mal. A humanidade é desumana. Essa é, me dói o peito ao falar isso, mas essa é a nossa realidade.

Mas a realidade pode mudar. Por ora, não para o mundo, mas para você. E me perdoe se você acha isso natural, mas eu não acho. Eu só queria ainda estar em dúvida e poder me perguntar: cadê o boi que estava lá? Mas eu não posso. Eu sei onde ele está.

Por Thamiris Dondóssola.

Referência: FOER, Jonathan Safran. Comer Animais. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

12 comentários:

  1. Oi, Thami!
    Adoro os seus textos sobre vegetarianismo. Apesar de não seguir essa alimentação, eu gosto de ver a opinião de quem segue.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de aniversário do blog Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Obrigada. Fico feliz em saber que você gosta dos textos.
      Beijos

      Excluir
  2. Thami, que coisa triste! Mesmo assim, continue escrevendo, é a melhor forma de tocar as pessoas sobre o modo como elas tratam os animais. Teus textos são tocantes e mostram de uma forma simples como é o modo como nós pensamos em relação aos animais: eles têm sentimentos e uma vida! As pessoas não vivem criticando o aborto, pois se trata de manter uma vida? Pois, se a vida é tão importante assim, por que não param de comer seres vivos? É de se pensar essa hipocrisia!

    Beijinhos, Hel - Leituras & Gatices

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste Hel! E acontece com frequência. Algumas vezes eu me questiono: será que é só eu que percebo?
      Obrigada pelo elogio aos meus textos.
      Concordo plenamente com isso: "As pessoas não vivem criticando o aborto, pois se trata de manter uma vida? Pois, se a vida é tão importante assim, por que não param de comer seres vivos? É de se pensar essa hipocrisia!" Obrigada por expressar tão bem aquilo que eu sinto.
      Beijos

      Excluir
  3. Oi Thamiris!
    Seu texto está maravilhoso,apesar de não seguir o vegetarianismo penso seriamente em me tornar vegetariano ou até vegano,no momento está correndo tudo bem,mas vamos ver até quando eu consigo manter essa alimentação.
    Abraços!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Muito obrigada pelo elogio.
      Que bom que pensa seriamente nisso, fico feliz.
      Abraço!

      Excluir
  4. Oi Thamiris, tudo bem?
    Primeiramente, gostaria de dizer que achei muito fofa essa foto do post <3
    E, em segundo lugar, gostaria de ta dar parabéns pelo texto que ficou muito bom! E eu admiro muito as pessoas que são vegetarianas ou veganas,eu queria ter esse tipo de alimentação, mas eu não consigo largar da carne. E eu tenho bois e vacas de estimação, por serem parte da família a gente se recusa a vender ou matar algum, quando eles morrerem vai ser de causas naturais ou por picada de cobra.
    Bjs e sucesso com o seu blog!
    https://escritorawhovian.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bruna. Tudo caminhando e com você?
      Eu amo as fotos que a página publica, são muito fofas mesmo.
      Obrigada pelos parabéns a respeito do texto.
      Meu bem, nos enganamos quando dizemos que não conseguimos. Eu também achei que não conseguiria um dia, até que eu tive vontade. E aqui estou, caminhando.
      Fico feliz que tenha bois e vacas de estimação. Cuide deles!
      Beijos

      Excluir
  5. Oi Tha!

    Te admiro muito por você defender o que acredita e ao mesmo tempo criar um texto de qualidade!
    Eu já reduzi bastante a quantidade de carne que consumo exatamente por me sentir mal pelo animal.
    É realmente muito triste como esses bichos não recebem nem um pouco de empatia..

    Beijos

    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raí. Acredito que é pra isso que estou viva neste mundo: defender aquilo em que acredito.
      Gosto de saber que você tem consciência. Isso é muito importante.
      Beijos

      Excluir
  6. Olá, Thamiris!
    Tudo bom?
    Que texto lindo, viu. Parabéns!
    Há alguns dias vi um vídeo no facebook com esse ato violento que leve o boi àquele final doloroso. Não quero colocar detalhes aqui porque acho que você já deve ter visto. Mas me doeu no coração! Animal não fala, não pensa com a gente, mas é uma vida e sente dor. E são seres tão amáveis! O coração fica até sentido com essa realidade e com o mal trato dos animais, mesmo sabendo que sempre foi assim, que a cadeia alimentar é assim.

    Bjão.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Tudo bem e contigo?
      Obrigada pelo elogio!
      Não vi o vídeo, já vi crueldade demais, hoje eu me recuso a assistir quando tenho escolha.
      Animal não fala, mas sente.
      Quanto ao fato de "sempre foi assim", discordo. Nem sempre foi assim para todas as pessoas. E não é mais assim para mim. Essa questão não fecha. Nós temos escolhas!
      Abraço.

      Excluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com