domingo, 27 de março de 2016

Resenha: O Bangalô - PLCUA #04

Sinopse: Verão de 1942. Anne tem tudo o que uma garota de sua idade almeja: família e noivo bem-sucedidos.
No entanto, ela não se sente feliz com o rumo que sua vida está tomando. Recém-formada em enfermagem e vivendo em um mundo devastado pelos horrores da Segunda Guerra Mundial, Anne, juntamente com sua melhor amiga, decide se alistar para servir seu país como enfermeira em Bora Bora.
Lá ela se depara com outra realidade, uma vida simples e responsabilidades que não estava acostumada. Mas, também, conhece o verdadeiro amor nos braços de Westry, um soldado sensível e carinhoso.
O esconderijo de amor de Anne e Westry é um bangalô abandonado, e eles vivem os melhores momentos de suas vidas... Até testemunharem um assassinato brutal nos arredores do bangalô que mudará o rumo desta história.
A ilha, de alguma forma, transforma a vida das pessoas, e este livro certamente transformará você.

Hoje temos a resenha de O Bangalô, escrito por Sarah Jio. Esse foi mais um livro lido em conjunto com a Bru para o Projeto Lendo com uma Amiga.

Opinião da Bru (UOH)

O Bangalô foi um livro que me arrebatou de todas as maneiras. O livro conta a história de Anne, uma idosa que está bastante debilitada, mas, ainda assim, vive bem. Ela recebe uma carta de Bora Bora, um lugar que há muito não ouvia falar, pedindo ajuda para desvendar um crime que aconteceu na época em que estava hospedada lá. Por esse motivo, Anne decide compartilhar com a neta sua história.

“Se soubéssemos como as coisas acabariam, será que teríamos ido da mesma forma.” 

Anne volta, então, ao passado, e relata o que lhe aconteceu. Recém formada em enfermagem e com um casamento a vista, Anne e sua melhor amiga, Kitty, decidem se alistar para serem enfermeiras em Bora Bora, pois os homens, que estão em guerra, voltam feridos e precisam de cuidados. Junto de muitas outras moças, na mesma condição, as amigas desembarcam na ilha para uma estadia que mudará completamente suas vidas.

“ – Não acredito em contos de fadas, ou em cavaleiros brilhantes com armaduras brilhantes. Acredito que o amor seja uma escolha. Conhece-se alguém. Gosta-se de alguém. Decide-se por amá-lo. Simples assim.”

Além da vontade de fazer algo por seu país, outra coisa que fez Anne querer se alistar foi o fato de achar que não ama o suficiente seu noivo para viver com ele para sempre. Foi o fato de achar que ela nunca viveu uma experiência completa de amor, além, é claro, da influência da amiga.

Kitty era uma moça solteira e cheia de vida, então, logo acaba se envolvendo com homens da ilha, isso faz com que ela se afaste da amiga, Anne, e mude muito. A vida de Anne ia bem, obrigada, até ela conhecer Westry, um homem lindo e muito educado que roubou seu coração completamente. Parece que a função do destino era uni-los, pois os caminhos deles sempre se cruzavam e foi, em um desses encontros, que se depararam com O Bangalô, uma cabana inóspita, mas muita bonita e que virou o ponto de encontro dos dois. Mas, será que o destino deles é ficar juntos?

“ – É difícil acreditar que há uma guerra por aqui. Esse pedaço do mundo é lindo demais para ser destruído.”

Esse livro me arrebatou, como disse anteriormente. Em minha opinião, a Sarah construiu muito bem os personagens, deu uma personalidade incrível à Anne e à Kitty, apesar dessa última ter me dado muita raiva. Anne sempre foi uma pessoa muito ligada a opinião alheia e, por isso, embarcava em todas as ideias de Kitty. Isso pode parecer que ela era uma pessoa sem personalidade, mas, é totalmente ao contrário, ela não ia apenas porque a amiga ia, ela ia porque queria ir para ver o que amiga viveria e, quem sabe, encontrar seu lugar no mundo.


Westry também foi um personagem bem criado e o relacionamento entre ele e Anne foi crescendo aos poucos, a autora foi construindo página após página, não foi aquele fogo que começou a arder e o amor estava lá.

O clima de suspense também foi muito bem trabalhado. Aliás, tudo nesse livro me encantou. Adorei o final e a forma como aconteceu, só serviu para firmar o que a autora pregou desde o começo: O amor te levará a lugares que você jamais imaginou, mas, também, te trará coisas incríveis, mesmo que após muito tempo.

Opinião da Thami (minha opinião)

A leitura de O Bangalô foi uma experiência maravilhosa para mim! As indecisões vividas pela protagonista Anne fizeram com que eu me apegasse bastante a ela. E o motivo é bastante simples: eu também sou uma pessoa indecisa. Sorri com ela e sofri como se fosse ela.

"Gostaria de poder ver a beleza do momento como Kitty fazia. Isso era um dom." 

A partir do momento em que o bangalô, Anne e Westry começam a se envolver, um clima de mistério e suspense toma conta do livro. Em alguns momentos, tive que me conter para não ler tudo de uma vez só, pois a vontade que eu sentia era de devorar o livro. 

Há, sem dúvidas, muitas mensagens a serem passadas a partir da leitura. Escolhi me concentrar no fato de que não devemos hesitar diante de algo que temos muita vontade. A vida é uma coisa hoje, amanhã pode ser outra. Aproveite e usufrua de cada momento. Parece clichê? Sim. É clichê. Mas é a mais pura verdade.

Uma linda história de amor, questionamentos sobre amizade verdadeira, angústias, decisões e, apesar das circunstâncias, um cenário paradisíaco, é o que, resumidamente, O Bangalô apresenta. Apesar de sentir que as explicações a respeito dos fatos poderiam se desenvolver mais, super recomendo a leitura.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com