quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Aeroporto de chegadas


Aeroporto de chegadas 
1980

Nos fundos distantes da minha casa, tem um aeroporto. Todos os dias, assim que eu chego do trabalho, fico observando os aviões partirem. Eu não gosto de observar os pousos, prefiro apreciar as partidas. Minha vida é um aeroporto de chegadas. Tudo aquilo que me caracteriza e está ao meu redor, mais ou menos desde os doze anos, permaneceu. Se você acredita que isso é bom, está docemente iludido. 

O medo sempre me impediu de ir além. Eu sempre aceitei tudo aquilo que me ofereceram, desde um doce por dois reais para arrecadar fundos para alguma coisa até amizades mornas, falsos amores e conquistas inválidas. Eu nunca saí do lugar em que moro. Eu nunca recusei, nunca falei “não”, nunca me decepcionei. Essa estabilidade pode ser o que você procura. E é dessa estabilidade que eu quero fugir. Eu quero ser mutável.

Hoje mais cedo, escrevi um bilhete e arrumei as malas, estava disposta a enfrentar o medo e encarar a novidade. Eu havia tomado uma decisão, o desembaraço do meu peito foi se embaraçando, minhas veias pulsavam. Eu preciso sofrer e perder. Eu preciso sentir. Preciso ir embora, preciso transformar esse aeroporto de chegadas, num aeroporto de partidas. 

Estava tudo pronto, eu ia embora. Não deixei bilhetes, nem pistas. Não deixei nada. Eu ia partir e ia sozinha. Eu, meus ombros leves e a mente vazia. Mas ele me impediu. 

2015

Acabei de ler o relato acima em meu diário. Ele foi escrito na noite de 1980, exatamente às 23h30min, depois da minha tentativa falha de ir embora para sempre e mudar a direção dos acontecimentos da minha vida. Não havia outra forma. Para que eu não continuasse trabalhando no restaurante, não encontrasse um marido tolerável, não aceitasse suas traições e não continuasse comprando doces, eu teria de ir embora e recomeçar. Mas o medo me impediu. E minha existência atual acabou de ser descrita.

Hoje, minha vida continua sendo um aeroporto de chegadas. Eu não consegui partir. Você, por favor, não deixe que a sua vida se transforme nisso também. Abra as portas, os olhos e o coração somente para aquilo que você realmente deseja. Saiba dizer não.

Por Thamiris Dondóssola

29 comentários:

  1. Que texto lindo Thamiris, adorei ele!
    Gostei muito da frase "Hoje, minha vida continua sendo um aeroporto de chegadas. Eu não consegui partir. Você, por favor, não deixe que a sua vida se transforme nisso também. Abra as portas, os olhos e o coração somente para aquilo que você realmente deseja. Saiba dizer não". Acho que isso se aplica muita na vida das pessoas e muita das vezes na minha também.
    Beijão,

    Vinicius
    omeninoeolivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Texto perfeito, sem palavras!
    http://grandemetamorphose.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Thamiris, que legal! Eu me vi em algumas linhas, a de aceitar muito o que vem. Quando minha irmã, diferente de mim, começou a brigar pelo que queria abri um pouco os olhos, sabe? Hoje vou um pouco mais atrás de mudar as coisas, mas ainda me falta coragem em alguns momentos. Estou em um aeroporto muito mais de chegadas que de partidas ainda. Adorei sua ideia do projeto, bem interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Talita. Se quiser participar, está convidada.
      Se você sabe lidar com isso, no seu caso, espero que seja um ponto positivo.

      Excluir
  4. Oi Thamiris, mais um texto arrasador? hahaha
    "Essa estabilidade pode ser o que você procura. E é dessa estabilidade que eu quero fugir. Eu quero ser mutável." Perfeito, super me identifiquei! <3
    Me senti triste pela personagem, esse final ficou muito bom!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol, awn, que linda! Fico contente por isso. E também senti pena ao escrever, mas foi necessário.
      Beijos

      Excluir
  5. Caraca, que lindo, que lindo <3
    Adorei cada palavra... Vou tirar uma frase pro status do wpp haha
    www.camilakellen.com

    ResponderExcluir
  6. Eu amei esse texto completamente, descreveu tão fortemente um momento que eu vivi nos últimos meses e ainda estou vivendo, nossa, certas partidas são difíceis mas muito necessárias, enfim, o texto me tocou extremamente, fico até sem palavras para descrever o quanto.
    Estou seguindo e amando o blog! <3
    Beijos.
    Criei, recentemente, um blog para falar sobre filmes, séries, cultura e artes no geral. Se você puder dar uma conferida eu ficarei muito grata: http://cineleva.blogspot.com.br/ :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Willma, obrigada!
      Vou visitar o seu blog sim.
      Beijos

      Excluir
  7. Adorei o texto!!!
    Adorei seu blog!
    Seguindo, segue de volta?
    http://momentopenelopebyangel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Que texto incrível!!!
    Tamiris, suas palavras mexeram extremamente como, me identifiquei com as linhas acima. Sei que estou estacionada e quero! pretendo! mudar isso, mas as vezes o medo nos impede de tanta coisa...
    beijão*...*
    www.notinhasderodape.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thais, sabe, é bom ler isso. Muito obrigada! Espero que você vença o medo.
      Beijos

      Excluir
  9. Ooi, tudo bom??
    Caramba que texto maravilhoso, até me arrepiei com esse final HUAHSA Eu sempre fui a louca das mudanças, dos recomeços e das partidas. Me identifiquei muito com o texto, sempre procuro fugir dessa "estabilidade"
    Beijoos,
    Sétima Onda Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mandy, tudo ótimo!
      Fico feliz que tenha se identificado.
      Beijos

      Excluir
  10. Lindo seu texto, embora muito triste. Ser impedida de fazer algo por medo é uma das maiores tristezas que podemos ter. Fico na torcida para que a protagonista consiga se libertar e partir.

    Infinitos Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Samy. Esse era o objetivo. Estou torcendo por ela também, rs.

      Excluir
  11. Olá.
    Que coisa incrível. Que texto lindo! Vivo de partidas, tudo o que gosta se vai. Preciso mudar isso e seu texto me alertou.
    Abraços

    Clichê Imperial
    http://clicheimperial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    O texto mexeu muito comigo pois estou num momento de mudanças na minha vida. Um casamento que não me satisfaz e o medo de que ao ir embora tudo mude. Mas ao mesmo tempo eu tenho esperanças que com essas mudanças eu possa tornar a ser feliz e deixar o passado para trás.
    Amei o texto, pois está me incentivando a seguir em frente.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suelen.
      Acredito nisso, por favor. Espero que você seja muito feliz!
      Beijos

      Excluir
  13. Olá!

    Nossa que texto lindo! A ideia da construção foi genial!
    Muito bom, parabéns, você escreve muito bem. Sucesso viu!

    Abraços,

    Tont

    ResponderExcluir
  14. Oi Thamiris, tudo bom?
    Nossa, que texto lindo! Me identifiquei muito com ele! Houve uma época em minha vida que eu era exatamente um "aeroporto de chegadas" e tudo o que eu sentia e era está aí nesse texto... em maio desse ano eu me permiti dizer adeus e me tornei um aeroporto de partidas... o alívio foi enorme, me senti livre, nova. Hoje em dia sou um equilíbrio dos dois e vou te dizer, é o melhor lugar para se estar. Texto maravilhoso!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pollyana!
      Eu fico muito feliz por você, de verdade.
      Obrigada, beijos.

      Excluir
    2. Oi Pollyana!
      Eu fico muito feliz por você, de verdade.
      Obrigada, beijos.

      Excluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com