sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Resenha: A Pata da Gazela - José de Alencar

Sinopse: Baseado no conto "A Cinderela" e na fábula do leão amoroso de La Fontaine, José de Alencar, em sua obra "A Pata da Gazela", esboça um retrato irônico e crítico da sociedade brasileira do século XIX. A história é bastante singela: um rapaz jovem e sedutor (Horácio) encontra um pé de botina caído na calçada e a trama se desenrola na tentativa dele, e de outro rapaz (Leopoldo) que também observava a cena, de descobrir quem é a dona daquele sapato.






A Pata da Gazela é um livro de José de Alencar, publicado em 1870. Como lido na sinopse, é como uma releitura de Cinderela. Vamos entender melhor: 

Amélia e Laura, primas e amigas, estão esperando no carro o criado que foi buscar uma encomenda na loja de sapatos. Enquanto esperam, Amélia nota que um homem (Leopoldo de Castro) está observando ela com bastante frequência. Ela se sente incomodada e quando o criado aparece, pede a ele que vá embora depressa. Com a correria, um dos objetos que o criado segurava cai no chão.

É Horácio quem encontra o objeto caído e o guarda no bolso. Só mais tarde, ele se lembra do objeto que encontrou na rua. Ao tirar do bolso, ele percebe ser uma botina. Botina essa que por acaso, era a descrição da perfeição, além de possuir um aroma maravilhoso. Horácio começa a ponderar sobre quem é a dona da botina e depois de muito refletir, chega a conclusão de que é de uma moça. Então começa aí uma busca incansável pela dona daquela linda botina. 

Enquanto isso, Leopoldo promete a si mesmo que vai reencontrar aquela bela mulher que à primeira vista roubou o seu coração. Para ele, ter encontrado Amélia, foi um acontecimento divino. E se o destino quisesse que ambos se aproximassem novamente, isso aconteceria.

É a partir dessas situações que a história se desenrola. Horácio, Leopoldo e Amélia vivem de certa forma, um triângulo amoroso. Horácio só pensa em encontrar a dona daquela botina divina, Leopoldo está perdidamente apaixonado por Amélia. E Amélia, bem... Amélia, em minha opinião, é uma personagem bastante confusa. Leia e entenderá.


A Pata da Gazela não é um simples romance dificultoso. O próprio nome do livro já sugere algo a mais. Então saiba: existe uma grande surpresa relacionada à Amélia.

A narrativa é feita em 3ª pessoa. A escrita, por conta da época em que o livro foi construído, é um pouco difícil, mas nem tanto. É possível sim ler com bastante tranquilidade. É, acredito eu, o segundo ou terceiro livro de José de Alencar que pego para ler. Gostei de Senhora, mas A Pata da Gazela, em minha humilde opinião, é muito melhor. 

Horácio possui um pensamento um tanto complexo. Notei a presença da comédia quando ele se referia ao objeto que encontrou. A botina se tornou um fetiche para ele. Ele “estudou” tanto as mulheres que não se comovia mais com a simplicidade do amor. Confira o trecho: “[...] tinha admirado a mulher em todos os tipos e em todos os seus encantos; mas nunca a tinha amado sob a forma sedutora de um pezinho faceiro. Era realmente para surpreender. Como lhe passara despercebido esse condão mágico da mulher, a ele que julgava ter esgotado todas as emoções do amor?”.

Leopoldo é o meu preferido. Também há um lado cômico em suas descrições sobre o que descobriu de Amélia. Eu torci pelo romance entre os dois desde o início. Ele chegou a superar um, digamos capricho, para continuar amando a moça. Já Amélia, como eu falei anteriormente, é uma personagem difícil. Eu não conseguia acompanhar suas vontades, ou melhor, entender suas vontades. Acredito que essa confusão se deu pelo fato de ela estar dividida entre os dois moços. 

Outra coisa que quero destacar também é que percebi em várias situações desse livro, menções ao belo e ao feio, em como o feio pode ser belo e a mistura do belo e do feio. Ou seja, a base daquilo que Victor Hugo sistematizou em Do Grotesco e do Sublime como harmonia: A junção do grotesco e do sublime. Perceba o trecho: "Era o mesmo desencanto, a mesma insistência de seu espírito para enxergar a formosura da donzela através de um prisma deforme e caricato. Nessas ocasiões ele sofria diante da moça a fascinação do horrível, como o poeta sofre muitas vezes a fascinação do belo em face de um objeto desgracioso. Era então um poeta pelo avesso; um vate do monstruoso. Tinha na imaginação um gnomo de Victor Hugo: criava Quasímodos e Gwynplaines do sexo feminino com uma fecundidade espantosa."

Dei cinco estrelas ao livro no skoob, pois a leitura é sensacional. Além de ser envolvente, é educadora. Vou fazer uma postagem separada para as citações que retirei do livro, pois foram muitas. Dessa forma, a resenha vai terminando por aqui.


23 comentários:

  1. Thamiris! Não vou mentir, eu leio muito, e de tudo mais ainda tenho uma preguicinha quando vejo um clássico assim, acabo dando preferência sempre para um mais atual! Amei sua critica, resenha perfeita e gostei da sinceridade, também fiquei curiosa para conhecer essa literatura sensacional! Beijos
    Paula Juliana - Blog Overdose Literária!
    http://overdoselite.blogspot.com.br/2015/08/resenha-como-ser-feliz-ou-no-minimo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula! Mas isso é normal. Muitas pessoas acabam fazendo o mesmo que você. É uma questão simples de preferências. Mas eu fico muito feliz que tenha gostado tanto e quem sabe você não dá uma chance a esse ou a algum outro clássico da literatura?
      Beijos!

      Excluir
  2. Também tenho uma preguicinha, mas já li alguns e pretendo ler outros em breve. Do José de Alencar eu sou APAIXONADA por "O guarani", até porque fiz uma mini peça no colégio e ficou uma graça. *_*

    Beijos
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho "O Guarani" na minha estante. Ainda não peguei para ler, vou pesquisar sobre ele depois de ler o seu comentário.
      Beijos!

      Excluir
  3. Oi, tudo bem?
    Tenho uma certa dificuldade em ler livros que foram escritos a muito tempo. Nunca li nada do Jose de Alencar, mas esse parece ser um ótimo livro.
    Beijos, lendocomabianca.blgospot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca. Eu gosto, mas também tenho dificuldades. Acredito que vou melhorar com o tempo. Sim, é um livro muito bom.
      Beijos

      Excluir
  4. Oi, Thamiris!
    Nunca li nada do José de Alencar. Tenho curiosidade, mas receio da leitura não fluir.
    Achei intrigante esse enredo. Quem sabe comece por esse livro, né?
    Beijos

    www.construindoestante.com || Curta a fanpage
    Esse é o mês de aniversário do blog! Participe da Promoção e do Top Comentarista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eliana,
      Com certeza, espero que comece por ele, então.
      Beijos

      Excluir
  5. Oi!
    A capa e o conteúdo me chamou bastante atenção!
    Quero ler esse livro!
    Parabéns pelo post e pelo blog!
    Beijos
    sonhardevaneios.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá, Thamires.
    Confesso que tenho certa dificuldade com livros escritos em terceira pessoa, mas já li um livro do José de Alencar e acredito que exista exceções. Nunca tinha ouvido falar desse livro dele e fiquei curioso com tudo que falou sobre.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acredito muito em exceções. Que bom que gostou!

      Excluir
  7. Sou apaixonada por clássicos! Ainda não li esse, mas já conhecia a história e pretendo ler muito em breve. Parabéns pela resenha!

    Beijos
    albumdeleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, também amo! Espero que leia em breve então, vai adorar. Obrigada!

      Excluir
  8. Me interessei bastante, parece ser uma ótima leitura, pelo menos me pareceu ser do jeito que eu gosto, eu adoro livros antigos, inclusive tenho um de 1974, que é meu bebê, tenho muito zelo por ele.
    Adorei sua dica

    Mil beijocas
    ⋙ ♥ Blog Livros com café

    ResponderExcluir
  9. Olá Tha,
    Adorei a sua resenha.
    Ao contrário do que você disse, não acho que sua resenha tenha ficado grande. Acredito que ela tenha ficado num tamanho perfeito para nos dar uma ideia sobre o enredo.
    Particularmente, não gosto de clássicos, mas esse me pareceu muito interessante.
    Gostei da premissa da história e fiquei tentada a ler. Quem sabe, eu não leia e gostei tanto quanto você gostou.
    Beijos ♥
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom saber que gostou Bru, é importante para mim.
      Beijos!

      Excluir
  10. Sempre tento ler algum livro mais clássico, acho que todo mundo devia fazer isso! Gostei da sua resenha, não conhecia esse livro do Alencar, e adoro releituras de contos de fadas. Vou dar uma chance!
    Beijos.

    www.imperfeitaas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a minha experiência com uma releitura de um conto de fadas. Obrigada!
      Beijos

      Excluir
  11. Oi Thamiris.
    Eu não conhecia esse livro ainda, alias conheço pouco da nossa literatura mais antiga. Recentemente li um livro do autor e gostei bastante da sua escrita. E como me interessei por esse acho que lerei também. Vou anotar aqui e parabéns pela resenha.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil,
      Qual o livro que você leu? Que bom que gostou, obrigada!
      Beijos

      Excluir
  12. Podem me enforma o heroi do romance e o vilão e o personagem secundários por favor, do livro a pata da gazela?

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com