sábado, 12 de julho de 2014

Cumprir Promessas





"Ela sentou-se na cama, olhou para o relógio, não trocou de roupa, não lavou o rosto. Dormiu. Acordou às oito e quarenta e cinco na manhã de domingo, vinte e sete de dezembro de 2004. Levantou-se rapidamente e caminhou até o chuveiro, suas pernas tremeram e em um segundo ela se viu ao chão. Arrastou-se até o banheiro e ligou o chuveiro, lavou-se sentada. Se alguém a visse naquele estado diria que havia se perdido na vida, que um níquel não valeria, que um banho precisaria. Em meio a muito esforço conseguiu levantar e se dirigiu a geladeira, ainda de toalha amarrada no corpo e cabelos encharcados. Puxou a manteiga e passou no pão. Uma, duas, três mordidas e o pão acabou. Jogou o corpo no sofá e ouviu seu celular tocar. Você tem uma nova mensagem - Era o que indicaria seu aparelho. “Estou aqui.” Tacou o celular contra o tudo e apavorou-se. Correu, a campainha tocou, vestiu uma camiseta, a campainha tocou novamente, vestiu uma bermuda jeans, a campainha tocou novamente… “P****, dá pra esperar?” Continuou na correria, tropeçou, arranhou os móveis, caiu, levantou, abriu a porta. Quando abriu a porta pensou que estava tendo algum tipo de alucinação, não acreditou. Disse: “Entre. Você veio mesmo.” Era ele. Ele respondeu: “Eu disse que viria. Costumo cumprir minhas promessas.” Ela pediu um momento e no banheiro se trancou. Enquanto ele esperava no sofá da sala, ela imaginava e calculava o que realmente estava fazendo. Ela não queria errar novamente, ninguém iria a perdoar, ah! mas que se exploda o resto do mundo, mas sem o mundo ela nada seria. Aquela mulher gigante não sabia o que queria. Ela não era mais uma garotinha, tinha lá seus vinte e cinco anos. Morava sozinha, tinha seus deveres, seu trabalho, seus deveres, seu trabalho, seus deveres, seu trabalho. Mas era só isso que ela tinha? Não tinha sua família, seu marido, seu filho. Seria a hora de ter? Tudo bem, ele poderia ser só mais um caso ou talvez seu futuro noivo. É duro ficar na dúvida e não saber o que fazer. Ela o conheceu ontem e hoje ele já estava lá, sentado no sofá da sua sala. O que ele queria afinal? Ele trouxe uma aliança e um pedido de noivado? Ele veio sem palavras só pra ver no que daria? A cabeça de uma mulher carrega milhares de pensamentos mal resolvidos. Não queria arriscar, não tinha tempo para isso. Lembrou-se que diriam que atitude ela não teria, que vivia de opiniões alheias. Era a hora de arriscar. Abriu a porta, dez minutos haviam se passado. “É o seguinte, você veio para ficar ou para me iludir um pouco, provar do meu corpo e usufruir da minha bondade?” Silêncio. “Eu vim porque cumpro minhas promessas.” Sorriram. Passaram-se dez anos, já casados com um filho, ele o perguntou na varanda de casa depois de uma discussão: “Você realmente confia em mim?” Sem pensar duas vezes, ela o respondeu: “Não há como desconfiar de quem cumpre suas promessas.” Sorriram… Como há dez anos atrás." 

Thamiris Dondóssola.

16 comentários:

  1. Que lindo!!! Amei o texto; quanta coisa passa na cabeça de uma mulher ao mesmo tempo! E como é bom poder confiar em quem cumpre promessas.
    Sorteio do livro "Fahrenheit 451" no blog, participe: petalasdeliberdade.blogspot.com .

    ResponderExcluir
  2. Uau, que texto lindo!!!!
    Você escreve muito bem sabia?? Deveria investir nisso, amei amei amei!
    Beijão,
    Thousand Lives to Live ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, muito obrigada Gab. Fico feliz que tenha gostado!
      Beijos

      Excluir
  3. Thamiris, adorei o texto!
    Estou seguindo. Bjs!

    http://linnebaptista.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto amei, parabéns pela escrita.

    http://diariodeumajujubaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que belo texto! Eu adorei! Você quem escreveu? Se sim, escreve muito bem! Meus parabéns!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Danielle, muito obrigada, fico feliz por ter gostado.
      Sim, assino meus textos com meu nome abaixo ;)
      Beijão

      Excluir
  6. Oi Thamiris, tudo bem?
    Adorei seu texto viu, ficou muito bom mesmo! Continue escrevendo pois você tem futuro.
    Espero ver mais posts assim por aqui :).

    Beijo :*

    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maiara, tudo bem e você?
      Ai, que querida! Muito obrigada, fiquei muito feliz com seu comentário.
      Beijos ♥

      Excluir
  7. Thamiris com mais um texto emocionante.
    Adoro seus textos e esse me deixou com lágrimas nos olhos, quem nunca sentiu essa insegurança?
    Beijos!
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, que linda! Muito obrigada pelo carinho.
      E sim, quem nunca sentiu?
      Beijos

      Excluir
  8. Texto lindo e muito bem escrito <3 A construção da cena foi impecável.
    Seus textos são excelentes, sucesso lindona!

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Clarine,
      Obrigada querida, fiquei muito feliz ao ler seu comentário.
      Beijão.

      Excluir

Seu comentário é muito importante. Obrigada!

Obs.: Caso você não tenha uma conta no Google e não saiba como comentar, escreva o que deseja na caixa de texto acima e na opção "comentar como" selecione "Nome/URL", preenchendo somente o campo nome.

E-mail para contato: thamirisdondossola@hotmail.com